sábado, 5 de fevereiro de 2011

Contra ou a favor da homeopatia?

*~*~*~*~*~*~*
Atualização: eu fui à manifestação; não cheguei às 10:23, cheguei um pouco depois. Tinha pouquíssimas pessoas, na verdade pareceu que tinha mais repórteres que manifestantes (de ambos os lados). Também não vi representantes da Atenemg ou do Conahom distribuindo nenhum material informativo (mas havia algumas pessoas argumentando a favor da homeopatia, assim como contra).
Em resumo; não aconteceu praticamente nada.

*~*~*~*~*~*~*
vidro de remédio homeopático Eu teria escrito antes, mas só fiquei sabendo agora:
Ativistas contra a homeopatia vão tomar 'overdose' no próximo sábado, 5
(manchete do Estadão)

"Precisamente às 10h23 do próximo sábado, um grupo de ativistas anti-homeopatia vai se reunir na Praça Benedito Calixto, zona oeste da capital, para tomar uma overdose de medicamentos homeopáticos. O mesmo acontecerá em Porto Alegre (RS), Natal (RN) e outras 53 cidades de 25 países. Não se trata de uma tentativa de suicídio em massa. O objetivo dos autodenominados céticos é denunciar o desperdício de tempo e dinheiro com remédios que, segundo eles, não passam de água com açúcar."(...)

Segundo um e-mail que recebi (reproduzido mais abaixo) e uma notícia do Bol, a Associação Nacional dos Terapeutas Holísticos e Energéticos (Atenemg) e o Conselho Nacional de Homeopatia (Conahom) estão organizando uma "contra-manifestação", no mesmo dia e na mesma praça.
Pretendo participar.

Protestos simultâneos contra a homeopatia estão sendo articulados em todo o mundo, principalmente pelo grupo originário da Inglaterra que se intitula 10:23.
A principal queixa desses ativistas é que os poderes públicos desperdiçam dinheiro custeando uma terapia que - segundo eles - não funciona.
O médico Rubens Dolce Filho, presidente da Associação Paulista de Homeopatia, afirma que "o que o governo gasta com homeopatia no Brasil é quase nada. Não vejo como estamos incomodando." (do Bol Notícias)

Olha, eu defendo que todos têm direito a defender suas opiniões, mas acho que toda essa gente se mobilizando contra a homeopatia pelo mundo afora tem coisas bem mais importantes contra as quais se mobilizar.
Se houvesse evidências de que remédios homeopáticos fazem mal, eles teriam motivos para protestar. Mas, pelo contrário, ao demonstrar que uma "overdose" de homeopatia não causa mal, pra mim eles estão é me dando um argumento a favor da homeopatia!
(leitores, por favor, não tomem um vidro de remédio homeopático; é improvável, mas pode fazer mal, sim! Além de ser uma coisa muito, muito estúpida de se fazer.)

Sério, que raciocínio é esse, de que, se não matar caso tomado em excesso, o medicamento não funciona?
Eles acham que, assim, vão demonstrar que os remédios são apenas "bolinhas de açúcar". Tão lógico e científico da parte deles, que criticam a falta de evidências científicas de que esses remédios funcionam...

Existem, sim, artigos científicos, mestrados e doutorados que alegam que homeopatia funciona (dêem uma olhada no texto reproduzido mais abaixo). Não vou comentar a qualidade, ou ausência de, porque não os li. Existem outras pesquisas que dizem que não funciona. Digo o mesmo sobre elas.
Imagino que deve haver mais pesquisas dizendo que não funciona, simplesmente por viés dos pesquisadores, descrentes.
Além disso, a homeopatia não conta com investimentos bilionários da indústria farmacêutica.

Eu concordo com um argumento de alguns desses ativistas, de que não é bom quando as pessoas interrompem ou nem buscam tratamentos convencionais contra doenças graves, como um câncer, pelos tratamentos "alternativos".
Agora, isso não é argumento para ser contra essas práticas. Mesmo porque, há casos de pessoas que não encontraram cura ou alívio na medicina tradicional e, contrariando as expectativas, encontraram com tratamentos alternativos.
E, de qualquer modo, acho que todos deveriam ter informações acerca do maior número de opções possível e o direito de escolher como querem se tratar, ou de combinar tratamentos.

Já imagino que vá levar "puxões de orelha" de alguns colegas cientistas por escrever isso, mas, embora eu não entenda como a homeopatia funciona, ela funciona. Pelo menos pra mim. E pra mim isso basta.
Remédios alopatas (os "comprovados cientificamente") podem não funcionar, ou ter efeitos colaterais desagradáveis. Qual é o problema em eu tomar um remédio homeopático (que funciona comigo!) contra cólicas menstruais, se eu não quero tomar esses remédios alopatas que baixam minha pressão sangüínea e fazem com que eu me sinta mal?

Quem esses "céticos" pensam que são, para tentar impedir a mim e a milhões de pessoas que se sentem beneficiadas com tratamentos homeopáticos, de poder optar por eles?

Por acaso alguém está obrigando eles a se tratar com homeopatia??

*~*~*~*
Leia abaixo o texto que eu recebi via e-mail, sobre o "contra-protesto":

A Associação Nacional dos Terapeutas Holísticos e Energéticos convoca para o Manifesto a Favor da Homeopatia, AMANHÃ dia 5, em resposta ao protesto dos ativistas anti-homeopatia
O Brasil é reconhecido pelo seu pioneirismo em pesquisas científicas na área e, já chegou a exportar esse modelo de tratamento para outros países, como Cuba

A Associação Nacional dos Terapeutas Holísticos e Energéticos (Atenemg) e o Conselho Nacional de Homeopatia (Conahom) – entidades que representam os homeopatas do país – convocam mais de oito mil pessoas entre associados e alunos, para participarem do Manifesto a Favor da Homeopatia, neste sábado, dia 5 de fevereiro, na Praça Benedito Calixto, zona oeste da capital paulista. O ato será uma resposta a um grupo de ativistas anti-homeopatia que vão se reunir às 10h23, também no próximo sábado, na Praça Benedito Calixto, para tomar uma “overdose” de medicamentos homeopáticos. No Manifesto, a Atenemg deve distribuir material informativo esclarecendo e afirmando o sucesso dos tratamentos homeopáticos.

A professora convidada e coordenadora do Curso de Extensão de Homeopatia da Universidade Federal de Viçosa (UFV), Eliete M M Fagundes, acredita que os ativistas desconhecem o assunto. De acordo com a coordenadora, o Brasil é reconhecido pelo seu pioneirismo em pesquisas científicas na área e, já chegou a exportar esse modelo de tratamento para outros países, como Cuba. “A UFV é precursora de pesquisas de ponta no Brasil e no mundo na utilização da homeopatia nas plantas e meio ambiente. Foram defendidas mais de 30 teses de (doutorado), pós-doutorado, dissertação (mestrado) em fitotecnia por vários profissionais. Estas pesquisas já são referência em outros países e outras universidades brasileiras e passam por todos os rigorosos critérios científicos convencionais”, reforça Fagundes. A professora explica que as pesquisas em plantas eliminam todas as dúvidas em relação a legitimidade da homeopatia em humanos. “Os principais argumentos dos céticos científicos a respeito da ação da homeopatia é sobre o fato dela agir como placebo em seres humanos e necessitar de uma dose de crença, como se fosse baseada em dogmas religiosos e não seguisse paradigmas científicos. A planta não manifesta fé, portanto os efeitos comprovados também no meioambiente são uma prova irrefutável de que a homeopatia funciona, ainda mais legitimamente em seres humanos”, resume.

“O experimento deles certamente será com remédios que não produzem nenhuma lesão em seres vivos, como Coffea cruda (café), Natrum mur (sal), gostaríamos de propor-lhes o uso de outros tipos de remédios homeopáticos e que sejam tomados algumas vezes ao longo de uns cinco dias, sendo acompanhados por profissionais”, explica Fagundes.

Para Fagundes, atualmente existe uma polêmica negativa muito grande sobre a eficácia da homeopatia em humanos, justamente pelo seu desenvolvimento e crescimento do consumo no mundo todo. “Alguns grandes laboratórios de remédios também possuem indústria química ligada a agropecuária. O alimento gerado com pesticidas produz doenças que necessitam de novos remédios, é muito lucrativo! A homeopatia é uma tecnologia muito barata, que não polui, não lesa a natureza na sua produção, além de fortalecer o sistema imunológico dos seres vivos prevenindo-os de doenças físicas e problemas emocionais. Sabemos que isto realmente incomoda”, reforça.

Entenda a campanha
Os ativistas anti-homeopatia foram motivados pela Campanha 10:23, que acontece pelo segundo ano consecutivo na Grã-Bretanha e é organizada pela Sociedade Merseyside de Céticos (MSS, na sigla em inglês) e contestam a eficácia da homeopatia. Para o presidente da Associação dos Terapeutas Naturistas e Energéticos (Atenemg), José Alberto Moreno, o atual fomento à polêmica negativa sobre a eficácia a e eficiência da homeopatia em humanos, se deve justamente pelo crescimento, desenvolvimento e consumo no mundo todo.

Sistema Único de Saúde
A homeopatia existe há mais de 200 anos e está, paulatinamente, ficando cada vez mais popular no Brasil e no mundo. Hoje em dia é encontrada em quase todos os países. Na Europa cerca de 40% dos médicos franceses a utilizam, 40% dos holandeses, 37% dos britânicos e 20% dos alemães também. Nos Estados Unidos, centenas de milhares de pessoas tomam remédios homeopáticos a cada ano, onde são encontrados livremente em lojas de produtos naturais. De acordo com Ministério da Saúde, 285 municípios do País oferecem assistência homeopática na rede pública e cerca de 60% deles também fornecem medicamentos. Apenas em 2010 foram investidos cerca de R$ 3 milhões em consultas e medicamentos homeopáticos no Sistema Único de Saúde (SUS).

O município de Coronel Fabriciano, localizado na região do Vale do Rio Doce, em MG, começou a distribuir gratuitamente 30 mil doses de um complexo homeopático, e a medida fez com que a cidade registrasse a menor taxa de letalidade da dengue na região. Em outubro, quando foi realizado o último Levantamento Rápido do Índice de Infestação do Aedes Aegypti (LirA), o município atingiu o menor índice de infestação da doença, com 1%, nível recomendado pelo Ministério da Saúde. Em janeiro de 2009, no momento mais crítico desde 2007, Coronel Fabriciano chegou a 6,9% de infestação.


SERVIÇO
Manifesto a Favor da Homeopatia
Dia:
05 de fevereiro
Local: Praça Benedito Calixto, zona oeste da capital paulista
Horário: 10h23
Mais informações: www.homeopatias.com
O Homeopatias.com é um site que reune entidades como Conselho Nacional de Homeopatia (Conahom), Associação Nacional dos Terapeutas Holísticos e Energéticos (Atenemg) e Homeobrás. Todas possuem parceria com a UFV, para realizarem um trabalho de divulgação com o objetivo de tornar o conhecimento da Ciência da Homeopatia acessível para o público em geral, através de cursos de Extensão Universitária.


Gente, peço desculpas se o texto não ficou muito bom ou se tiver erros de português... escrevi correndo e é 1h da manhã! Só espero que faça sentido!
(nao me refiro ao texto citado, que foi ctrl+C ctrl+V total; não tenho nada a ver com ele!)

3 comentários:

Anônimo disse...

Coisas mais importantes para se mobilizar? Tenho duas opiniões quanto a isso: Numa analogia, não é porque existem assassinos a solta que furtos serão tolerados. Segundo, é um assunto muito importante sim, pois a quantidade de dinheiro que se é movimentado com essa "água e açúcar mais caros do mundo" (ou não) não é brincadeira. Talvez essas mobilizações façam que os estudos científicos em busca da comprovação dos efeitos dos produtos homeopáticos avancem. E talvez mostrem que no fim das contas você pagou e pagou por nada.
Quanto a "overdose". Não era pra provar que se fizesse mal faria efeito. Era pra provar que se existisse algum efeito de fato... haveria um efeito colateral com a overdose. O que não aconteceu.

Quanto ao direito de escolher, bem, não acho que ninguém escolhe ser enganado. Apenas é. Eu gostaria muito que as pessoas não escolhessem serem enganadas por nada. E se isso incluir protestos em busca de provas da eficácia de um tratamento... eu apoio. Não é o caso de uma benzedeira que também funciona para esse tipos de males (mas é de graça). É um caso de empresas grandes que afirmam resultados a partir de "nada". Os resultados podem existir, mas isso não implica que veio do que eles afirmaram que veio, ou seja, da memória da substância na água e pode sim de um efeito placebo.
"embora eu não entenda como a homeopatia funciona, ela funciona. Pelo menos pra mim. E pra mim isso basta." (ou seja, pode ser água e açúcar mesmo num efeito placebo que eu não me importo com a verdade, a verdade fede) Como você pode se chamar de cientista com isso? Um cientista que não se importa com a verdade???

Céticos não querem impedir você de pagar muito por água para que vc pense que sua cólica melhorou pq gastou muito dinheiro nisso. Céticos apenas se interessam em descobrir a verdade. Não se trata de obrigar ninguém a nada. O que esse protesto contra homeopatia te impede de beber água pura contra cólica? E se a eficácia fosse provada por conta desses protestos??? Se fosse provado, TODOS sairíamos ganhando de qualquer jeito. Pois os céticos não teriam mais do que duvidar. E a dúvida é a base do pensamento científico. =/ Criticar os que duvidam para mim está longe de ser uma coisa boa a se fazer.

Um abraço e paz.

Rhuann

Mari Lee disse...

Obrigada pelo comentário.

Ainda acho a "overdose" uma coisa ridícula. É um argumento que não se sustenta.
Se eu passar uma pomada cicatrizante (alopata) na minha pele, sem feridas, e não acontecer nada, prova que ela não funciona?
Muitos contrários à homeopatia não têm nada contra remédios naturais à base de ervas, como chás, que têm princípios ativos.
Vou tomar uma overdose de chá agora.
É até possível que, a longo prazo, aconteça algo no meu organismo (e quem garante q com a homeopatia, não?), mas no dia a única coisa que vai acontecer é eu ter de correr ao banheiro, por causa da quantidade de líquido ingerida.

Se a homeopatia é só placebo, por que alguns remédios têm um efeito que só eles têm?
Beladonna baixa minha temperatura corporal. Se eu estiver com febre, baixa a febre. Se eu continuar tomando, fica abaixo do normal. Nenhuma outra "bolinha de açúcar" faz isso.
Não pode ser auto-sugestão, porque faz isso comigo desde que eu era pequena e não fazia idéia do que minha mãe estava me dando.

Eu não preciso provar meu "cientificismo" pra ninguém.
Esse "cientificismo" de ignorar fatos que estão bem na nossa frente porque não podem ser reproduzidos em laboratório ou quantificados também não tem nada a ver comigo.
Claro que eu gostaria que a eficácia fosse "provada" (aliás, existem trabalhos científicos a favor, como está escrito na postagem). Mas não ser comprovado não muda o fato que funciona pra mim. E, se funciona, quero continuar usando, não me importo se vou ser expulsa do seu "clubinho de cientistas" por isso.

Eu respeito a sua opinião.
Mas se você está tentando tirar do mercado uma coisa que me faz bem, estamos em lados opostos.

Abraço.

João Aguilar disse...

Mari Lii
Parabéns pelo seu blog.
Gosto da simplicidade e clareza de opiniões.
Você esbanjo isso.
Muito obrigado e felicidades.
João Aguilar
www.luzdkwanyin.blogspot.com