sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Qual é o papel da PM no campus?

Bom, você provavelmente já soube que, ontem à noite, a PM tentou prender três estudantes da USP por fumar um baseado, ou por ter maconha na mochila - as versões diferem. Outros estudantes enfrentaram os policiais e tentaram defender os alunos, vários se juntaram, vieram mais policiais tentar levar os infratores para a delegacia, e os estudantes começaram uma manifestação, que foi reprimida com violência.
Os estudantes ocuparam um prédio da FFLCH em protesto contra a presença da PM no campus.
"Seguiremos ocupados até que o convênio USP–PM seja revogado pela reitoria, proibindo a entrada da PM no campus em qualquer circunstância"
~ nota dos alunos acampados na FFLCH, divulgada esta manhã

Eu não estava lá (estava em outro canto da USP e só soube do "babado" hoje de manhã), nem estudo na FFLCH nem fumo maconha, mas tomo a liberdade de comentar, porque o nível dos comentários em sites de notícias e em redes sociais está cada vez mais baixo e as posições, mais extremistas.
Sério, a maioria dos meus amigos no Facebook se divide em "Issoaê PM! Acaba com esses maconheiros/drogados, escória da sociedade!" e "Fora PM do campus! Abaixo a ditadura! Estou indo me juntar à ocupação da FFLCH!"

Estou horrorizada!

Lado? Nenhum, discordo de todos.
A discussão deveria ser outra.

Qual é o papel da PM no campus?
Garantir a segurança ou reprimir os alunos?
E em que circunstâncias é legítimo reprimir uma manifestação de estudantes com bombas de gás, cassetetes e balas de borracha?
(tem gente falando que foi "legítima defesa"! Só dando risada, né?)

Sim, infelizmente o uso/porte de maconha ainda é crime.
Mas quem se beneficia com a prisão de alunos dentro do campus por uso ou porte de maconha?

Tem muita gente que não quer a PM dentro do campus, não quer nem ouvir falar do assunto, pelo seu histórico de repressora.
E não estou falando de drogados, traficantes e bandidos.

Infelizmente, a USP precisa de policiamento. Há assaltos, seqüestros, estupros.

Episódios como este só servem para aumentar o repúdio à PM no campus.

A PM não pode ser inimiga dos estudantes!
Essa situação não é sustentável, gente!

Sinceramente, a PM tem um papel muito mais importante a cumprir do que prender maconheiros.
E os policiais precisam de treinamento para lidar com os estudantes de outra forma.

Essa PM no campus, eu não quero!


E se você acha que o mundo se divide entre "drogados" e "gente de bem", tenho pena de você.
Conheço muitos que fumam e são pessoas maravilhosas, assim como muita gente careta sem um pingo de ética.

E se vier fazer discurso contra as drogas, no mínimo não seja contraditório e defenda também a criminalização do álcool e do cigarro.

Um comentário:

Tiago disse...

Oi Mari,
Também concordo que o policiamento precisa ocorrer na USP. A polícia, infelizmente, é necessária para coibir vários tipos de crimes.
No caso de drogas é ainda mais complicado, pois é preciso abordar as pessoas para determinar se ela é um traficante ou só um usuário.
Pela única notícia que achei em que 2 dos estudantes envolvidos foram entrevistados (http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2011/10/alunos-detidos-querem-pm-fora-da-usp-e-liberacao-da-droga-no-brasil.html), os policias fizeram a abordagem corretamente. E foram outros estudantes não envolvidos que começaram o confronto.
O problema é que, como sempre, ocorreu uma escalada de provocações e violência, pelos dois lados.
E terminou com uma ocupação ridícula de mais um prédio da USP.